Com mais estreias canceladas, cinemas americanos voltam a fechar salas

A indústria cinematográfica continua a ser dramaticamente afetada pelos dilemas causados pela pandemia. Pouco mais de um mês após a reabertura dos cinemas nos Estado Unidos, a Cineworld, uma relevante rede de exibidores, anunciou que voltará a fechar suas 663 salas no país americano e no Reino Unido. O motivo é a falta de novos filmes e, consequentemente, a falta de público. Segundo matéria do jornal The New York Times, a decisão afeta 40.000 funcionários nos Estados Unidos, e mais 5.000 no Reino Unido.

A notícia vem na mesma semana em que outras grandes produções alteraram suas datas de estreia. 007 – Sem Tempo para Morrer, novo longa de James Bond, previsto para novembro, foi para abril. A superprodução Dune, adaptação do livro de mesmo nome de Frank Herbert, que estrearia em dezembro, foi remarcado para outubro de 2021.

A mudança de Dune encostou em The Batman, que alterou sua data de estreia outras vezes, já que as filmagens foram primeiro interrompidas pela quarentena, e, recentemente, a equipe entrou em pausa quando o protagonista Robert Pattinson foi afastado por ter contraído Covid-19. A produção foi de outubro de 2021 para março de 2022.

Enquanto isso, no Brasil as salas ensaiam seu retorno. Desde quinta-feira, 1° de outubro, os cinemas do Rio de Janeiro retomaram as atividades. Por enquanto, a aposta é a exibição de filmes antigos e outros que deveriam ter entrado em cartaz no começo do ano, como A Ilha da Fantasia, que no último fim de semana foi visto por 172.000 espectadores no país, liderando o ranking de maior bilheteria.

VEJA RECOMENDA | Conheça a lista dos livros mais vendidos da revista e nossas indicações especiais para você.

Continua após a publicidade