Cinemas europeus criticam Disney por estreia de novo filme no streaming

Dona de uma das maiores fatias no bolo de bilheterias, a Disney tirou a animação da Pixar Soul da agenda de 2020, último filme do estúdio que parecia resistir à debandada de grandes produções das salas de cinema. O longa está marcado para estrear diretamente no streaming, na plataforma Disney+, no dia 20 de novembro – o canal, disponível nos Estados Unidos e outros países, chega ao Brasil no dia 17 de novembro.

A decisão, que segue o caminho de Mulan, foi criticada por exibidores europeus, que têm visto as salas de cinema cada vez mais vazias, e aguardavam uma boa estreia para reverter o ano perdido.

Segundo o site especializado Deadline, a União Internacional dos Cinemas, associação presente em 38 países da Europa, disse que a decisão da Disney foi um choque e que deixou os exibidores desolados. “Os cinemas investiram alto em oferecer um ambiente seguro para o retorno da audiência, investimento baseado na agenda de lançamentos desse ano. Porém, mais uma vez, os distribuidores os deixaram na mão”, diz um trecho do comunicado.

Nos Estados Unidos, cinemas começaram a fechar as portas novamente, pela falta de público e estreias. No Brasil, as salas ainda estão retomando as atividades. São Paulo abre seus cinemas esta semana. A programação tem sido preenchida com filmes antigos e algumas estreias do ano que ainda não foram exibidas nos cinemas por aqui.

Continua após a publicidade