Seita sexual que arregimentava famosos de Hollywood ganha nova série

A seita NXIVM (pronuncia-se nexium), que começou como um grupo de autoajuda e se tornou um destrutivo culto do sexo, transformando suas integrantes em escravas sexuais do líder Keith Raniere, vai ganhar uma nova série documental, Seduced: Inside the NXIVM Cult. Dividida em quatro partes, a minissérie será exibida no Brasil a partir do dia 15 de novembro no canal de streaming Starzplay. A seita já havia ganhado uma série documental na HBO, The Vow, em agosto deste ano, com relatos de várias vítimas detalhando o modus operandi do grupo.

Cartaz da série Seduced: Inside the NXIVM Cult, do canal Starzplay//Divulgação

O que diferencia a nova série é que ela é amparada pelo relato íntimo e inédito de Índia Oxenberg, filha da atriz Catherine Oxenberg e descendente da realeza europeia. Seduzida pela seita, Índia passou sete anos no grupo. Na minissérie, ela narra sua experiência com os abusos sexuais do culto, refazendo os passos que a levaram a cair nas garras de Keith Raniere.

A seita NXIVM tinha como fachada um “programa de sucesso para executivos”. O discurso fajuto caiu quando membros descobriram que algumas mulheres do grupo estavam sendo transformadas em escravas sexuais do líder, até mesmo marcadas na pele com ferro de cauterização. O escândalo culminou na prisão de Raniere e de seu braço direito, a atriz Allison Mack, famosa pela série de TV Smallville. Ambos foram considerados culpados das acusações de fraude, conspiração, tráfico sexual e conspiração para trabalho forçado. Raniere ainda foi pego com posse de material pornográfico infantil.

Leia nesta edição: os planos do presidente para o Supremo. E mais: as profundas transformações provocadas no cotidiano pela pandemiaVEJA/VEJA

A série é dirigida por Cecilia Peck e Inbal B. Lessner, que colaboraram na série Brave Miss World, indicada ao Emmy. As duas também fazem a produção executiva, ao lado de Daniel Voll, Alexandra Milchan e a própria Índia Oxenberg.

Assista ao trailer:

Continua após a publicidade