7 filmes para entender o atual momento dos Estados Unidos

O mundo parou na quarta-feira, dia 6, para ver um episódio inédito da política americana. Apoiadores de Donald Trump invadiram o Capitólio, em apoio ao presidente americano que insiste em dizer que foi vítima de uma eleição fraudulenta. A ação desenrolou diversas análises que remontam ao passado do país e muitas de suas feridas que continuam abertas. Abaixo, confira sete filmes, entre longas de ficção inspirados em histórias reais e documentários, que ajudam a explicar a atual situação dos Estados Unidos.

 

Um Estado de Liberdade (disponível na Netflix)

Entre as imagens chocantes da invasão ao Capitólio, está a de um homem andando pela sede legislativa dos Estados Unidos com uma bandeira dos Confederados. A bandeira é símbolo dos Estados americanos que lutaram contra a abolição da escravatura na Guerra Civil (1861-1865), hoje, é associada a movimentos supremacistas brancos. No filme estrelado por Matthew McConaughey, um desertor confederado se une a pequenos agricultores, viúvas e escravos fugitivos em uma revolta interna contra o exército que antes ele defendeu.

Lincoln (em plataformas como Now e iTunes, para aluguel)

Figura mítica da política americana, o presidente Abraham Lincoln (1809-1865) foi o responsável por abolir a escravidão no país, enquanto lutava para recuperar os estados Confederados e restaurar a unidade americana. Primeiro presidente eleito do partido republicano, Lincoln é adorado por Trump, que, o mesmo tempo, age como um oposto de seu ídolo, acirrando a divisão do país. No grandioso filme dirigido por Steven Spielberg e lançado em 2012, o presidente (vivido por Daniel Day‑Lewis) é observado em seus últimos anos, período crítico do conflito que dividiu o país e da busca pela libertação dos escravos.

A Rede Social (disponível na plataforma HBO Go)

O nascimento do Facebook e a índole de Mark Zuckerberg pautam o filme de 2010, dirigido por David Fincher e vencedor de três estatuetas no Oscar. Na trama, ambientada em 2003, Zuckerberg (vivido por Jesse Eisenberg), então estudante de Harvard, cria uma rede interna para os estudantes que ganha dimensão global e o envolve em uma série de negociações e processos judiciais. Na época, as redes sociais ainda não haviam demonstrado seu potencial de acirrar e polarizar opiniões, ou disseminar notícias falsas – acusações que caem sobre Donald Trump e outros líderes populistas, como Jair Bolsonaro. Trump, aliás, foi banido do Facebook e Instagram indefinidamente, por ter incitado o ato violento contra o Congresso americano.

Continua após a publicidade

Borat: Fita de Cinema Seguinte (no Amazon Prime Video)

No segundo longa satírico do ácido personagem, o ator comediante Sacha Baron Cohen se aventura nos Estados Unidos da era-Trump. Na trama nonsense, ele busca dar a filha adolescente de presente ao presidente americano – já que ele sempre demonstrou interesse por mulheres mais novas. No pseudodocumentário, Borat interage com pessoas reais que não sabem se tratar de uma ficção cômica. Entre elas, está um comício de seguidores trumpistas bem parecidos com os que invadiram o Capitólio. Borat ainda passa duas semanas da quarentena da pandemia na casa de dois homens afeitos a teorias conspiratórias e a certeza antecipada de que Trump seria roubado nas eleições.

Get Me Roger Stone (na Netflix)

O documentário narra a história e as ações do estrategista político de Donald Trump, que ascendeu em Washington nos anos 70 ao trabalhar com o partido republicano e na reeleição de Richard Nixon (1913-1994). Preso pelo FBI em 2019, acusado de obstrução da Justiça e falso testemunho, Stone ficou conhecido como o lobista que elevou a um novo patamar o marketing agressivo do medo e de meias-verdades.

Até o Fim: A Luta Pela Democracia (no Amazon Prime Video)

O sistema eleitoral americano é campo de disputa a controvérsias para democratas e republicanos. O documentário discorre sobre o tema e a contagem de votos nos Estados Unidos, ao mesmo tempo que acompanha a ativista Stacey Abrams, mulher que ajudou a virar o jogo na Geórgia a favor de Joe Biden e que conquistou o desafeto de Donald Trump.

Você Também foi Trampeado (Amazon Prime Video)

Pouco conhecido, o documentário de 2016 foi criticado e quase censurado pela equipe de Donald Trump, que ameaçou judicialmente distribuidores que adquirissem o filme na época. Gravado em uma cidade da Escócia, o filme mostra as ações indiscriminadas de Trump para construir um campo de golfe em uma área onde estão diversas famílias e suas fazendas. O que salta aos olhos é a determinação de Trump de fazer o que quer e como quer, poderio que ele acredita ter por ser um empresário com muito dinheiro no bolso e conexões.

Continua após a publicidade